CASA DLA

Em um terreno inclinado cuja cota final está 11 metros acima da cota inicial, o desafio colocado foi de realizar um projeto de moradia com o mínimo de desníveis internos possível, ao mesmo tempo que  gerasse poucos  deslocamentos de terra no terreno.

A volumetria, então, pousa sobre o terreno adaptando-se à inclinação, por vezes através de balanços, outras com o uso de pilotis. Para viabilizar essa leveza visual e facilitar a execução da obra, optou-se pelo uso de estrutura metálica.

Em um terreno inclinado cuja cota final está 11 metros acima da cota inicial, o desafio colocado foi de realizar um projeto de moradia com o mínimo de desníveis internos possível, ao mesmo tempo que  gerasse poucos  deslocamentos de terra no terreno.

A volumetria, então, pousa sobre o terreno adaptando-se à inclinação, por vezes através de balanços, outras com o uso de pilotis. Para viabilizar essa leveza visual e facilitar a execução da obra, optou-se pelo uso de estrutura metálica.

Uma rampa serpenteia o terreno até um platô onde está a garagem, da qual, com apenas um lance de escada, se chega à residência em si. Nesse pavimento, há um hall de distribuição que permite acesso à área íntima sem atravessar a área social.

Para o simpático casal de clientes, a vida a dois demanda uma moradia escala prática e ao mesmo tempo aconchegante. Para isso, condensou-se grande parte do programa no primeiro pavimento. Nele estão duas suítes, a sala com pé direito duplo, alem da cozinha, as áreas de serviços e varandas.

No pavimento superior, com mais tranquilidade, está o escritório e o terraço com piso vegetado, cujo acesso se dá através de passarela ao longo do mezanino. No final do terreno estão a suíte de hóspedes, reservada principalmente para o filho e família que vivem na França, piscina hidro externa, orquidário e uma área gourmet com espaços de lazer.

Na parte de trás do terreno, uma rocha preexistente emerge bruta, e exerce papel quase escultórico que encerra a área de lazer, como uma tensão entre o edificado e a natureza. O acesso a esse pavimento se dá tanto pelo interior da casa quanto pelo exterior, possibilitando a recepção de convidados sem precisar circular pelo interior da casa principal.

A vista privilegiada da baía e do relevo do Rio é característica em quase toda a extensão do terreno. Para valorizá-la, predomina a envoltória com panos de vidro. No entanto, para garantir o conforto térmico da habitação, são usados beirais pergolados e painéis móveis com brises horizontais em aço corten, para evitar a incidência direta do sol e chuva.

Há um prisma que intercepta toda a volumetria em sua dimensão vertical, permitindo permeabilidade visual e circulação de ar desde a garagem ate o segundo pavimento. Esse prisma é encerrado por alta parede verde, limítrofe com a construção vizinha, que amplia a privacidade e o conforto termo-acústico para os ambientes da casa.

CASA DLA

Ficha Técnica:

Área Construida: 216 m²

Execução: 2014

Arquitetura: Viviane Cunha Arquitetura

Equipe: Viviane Cunha, Catalina D’alessandro, Rosi Vellasco

3D: Ricardo Nascimento

PRÓXIMO PROJETO